Raio

Os raios também são chamados de relâmpagos ! Vocês sabiam que existem muitos tipos de relâmpagos ? Os raios, ou relâmpagos, são muito bonitos de ver no céu, o que mais assusta é o barulho que se ouve de seguida, o chamado trovão. Os relâmpagos são descargas elétricas, semelhantes às correntes elétricas que passam pelos fios de nossas casas e que fazem os eletrodomésticos funcionarem. Mas são milhares de vezes mais fortes. Tão fortes que ao passarem pela atmosfera deslocam o ar e produzem um barulho intenso, o trovão. Repare que vemos o relâmpago antes de ouvir o trovão: isso acontece porque a luz é mais rápida que o som, por isso ela chega primeiro até nós. Mais abaixo também vamos explicar como se pode calcular a distância onde caiu o relâmpago, através do uso da velocidade do som.

Raios com os Jovens Titans

Raios com os Jovens Titans

 

Dentro das nuvens, bruscas correntes de ar geram fricção entre gotas de água e gelo, levando à formação e ao aglomeração de electricidade estática. No topo das nuvens acumulam-se as cargas eléctricas positivas e na zona inferior as negativas. Quando a acumulação de cargas negativas atinge um valor elevado, gera-se uma descarga eléctrica sobre a aparência de raios (visíveis como relâmpagos luminosos) dirigidos para a área superior da nuvem ou mesmo para o solo. Os raios aquecem instantaneamente o ar e o vapor no seu percurso, obrigando-os a uma expansão brusca, seguida de rápido arrefecimento e contracção. Este aquecimento é tal que origina uma violenta explosão, ouvindo-se então o trovão. E vocês também têm medo dos trovões ? Parece que os Jovens Titans têm muito medo e também querem saber os diferentes tipos de relâmpagos, que existem.

TIPOS DE RELÂMPAGOS

Existem vários tipos de relâmpagos: dentro das nuvens, entre duas nuvens e até da nuvem para o alto. Os relâmpagos que ocorrem entre as nuvens e o solo são chamados raios.

Como podem prejudicar as pessoas, os raios são bastante estudados. Eles ocorrem em regiões onde existem grandes quantidades de cargas elétricas, capazes de produzir faíscas. Normalmente caem em um único lugar, mas, às vezes, eles se dividem e atingem vários pontos, como podem visualizar na imagem acima.

Esta é uma das mais violentas manifestações da natureza. Manifestação que, em uma fração de segundos, pode produzir uma carga de energia tão alta cujos parâmetros podem chegam a:

  • 125 milhões de volts
  • 200 mil ampères
  •  25 mil graus centígrados

Para que um raio possa ocorrer é necessário que existam cargas de sinais opostos entre nuvens ou entre nuvens e o solo, quando isso ocorre, a atração entre as cargas é tão grande que provoca a descarga elétrica. Tais cargas foram nomeadas de cargas positivas e cargas negativas por Benjamin Franklin, por volta de 1750, século XVIII, quando esse realizou grandes descobertas sobre a eletricidade. Além de identificar o sinal das cargas, positivas e negativas, Franklin demonstrou de modo experimental que os raios são um fenômeno de natureza elétrica. Os raios podem ser classificados de acordo com sua origem, assim, eles podem ser:

  • Da nuvem para o solo;
  • Do solo para a nuvem;
  • Entre nuvens.

Um raio dura em média meio segundo. Nesse intervalo de tempo vários fenômenos ocorrem, entre eles os fenômenos físicos e climáticos. De acordo com a variação do clima os raios podem ser mais ou menos intensos. Algumas regiões do planeta têm tendência para a formação de descargas elétricas, originando os raios.

 

Diastência do Raio com os Jovens Titans

Distância do Raio com os Jovens Titans

 

DISTÃNCIA A QUE CAIU O RAIO DE VOCÊS

Essa é uma pergunta que muitos fazem e é realmente muito fácil calcular a que distância caiu o raio de nós. Como foi explicado acima, primeiro visualizamos o raio no céu, e depois ouve-se o trovão que pode ser quase instantâneo ou demorar alguns segundos. Como o som e a luz viajam a velocidades diferentes, um observador posicionado a alguma distância da tempestade vê o relâmpago uns segundos antes de ouvir o trovão. Os raios tomam sempre o caminho mais rápido para o solo e frequentemente isso implica a passagem através de objectos altos isolados na paisagem, como por exemplo árvores, casas ou mesmo pessoas. Para prevenir ou diminuir os efeitos desta situação, assegura-te que estás sempre informado sobre a previsão do tempo e cumpre as medidas de segurança, para este caso. Primeiro visualizamos o raio, porque a luz se desloca a uma velocidade de 300.000 quilómetros por segundo. O tempo que demoramos a ouvir o trovão diz-nos a distância a que caiu de nós, porque o som se desloca a 340 metros por segundo. Então façam o seguinte:

Quando começar uma trovoada, fiquem atentos com um relógio ou cronómetro em vossas mãos. Assim que visualizarem o raio no céu, começam a contar os segundos. Quando ouvirem o trovão param o cronómetro e verifiquem o tempo de decorreu entre o raio e o relâmpago. Vamos imaginar que entre o raio e o trovão decorreram 3 segundos.

Como o som se desloca a 340 m/s facilmente calculam a distância: 3 x 340 metros = 1020 metros

Neste exemplo, o raio atingiu o solo a mil e vinte metros de distância. Porque a luz se desloca a 300000 kilómetros por segundo, a visualização do raio é instantânea. Se têm curiosidade em outros fenômenos atmosféricos não deixem de visitar a seção dos Titans Clima Kids, devendo clicar aqui para aceder.

               

Deixar uma resposta

Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies. Saber Mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close